Somos membro de equipe multidisciplinar de segurança do trabalho com vasta experiência em projetos de gestão na área da Prevenção de Acidentes, possuímos portfólio completo visando assessorar sua empresa na tomada de decisões relacionadas a SMS.
Desenvolvemos projeto de Segurança e Prevenção, acompanhamos o andamento dos trabalhos e realizamos treinamentos.
Contato:
marciovaitsman@yahoo.com.br - marciovaitsman@gmail.com - http://twitter.com/SMSeg
PEDOFILIA, DENUNCIE. DISQUE 100

20 de janeiro de 2018

Por que janeiro é o mês menos produtivo – e o que fazer para mudar isso.



Janeiro pode ser um mês bastante decepcionante. Você está retornando da diversão das festas e do recesso e precisa voltar a trabalhar. As metas de ano novo se mostram mais difíceis de cumprir do que você imaginava.

Um estudo realizado nos Estados Unidos pela plataforma de gerenciamento de projetos Redbooth mostrou que, por lá, janeiro é o mês menos produtivo para os profissionais – que cumprem apenas 7,2% das tarefas do ano (se dividirmos todas as tarefas igualmente pelo ano, deveríamos concluir 8,3% por mês). Fevereiro é apenas um pouco melhor, com uma produtividade de 7,6%. No Hemisfério Norte, o inverno também ajuda a puxar os números para baixo, mas por aqui, o auge do verão também pode atrapalhar bastante a sua capacidade de se concentrar. 
Mas em vez de apenas sofrer com sua falta de produtividade, confira quatro estratégias para te ajudar a manter o foco no primeiro mês do ano, listadas pela Fast Company.

1. Foque nos cuidados pessoais:

Ser produtivo significa entender suas forças e fraquezas. Pensando nisso, pode ser uma boa escolha agendar menos tarefas para concluir em janeiro e focar mais naquilo que você quer se tornar. Identifique quatro atividades que aumentam suas energias e separe algum tempo para elas. Podem ser exercícios físicos, passar tempo com amigos e família ou ler um bom livro, por exemplo.

É um bom momento também para se desconectar um pouco das mídias sociais ou de hábitos pouco saudáveis. Assim, você vai ter mais energia e foco para conseguir trabalhar.

2. Identifique suas prioridades:

Pense onde você quer chegar e defina suas prioridades com base naquilo que quer alcançar neste ano, sugere o consultor em liderança Doug Ringer. “Limite-se a escolher três prioridades”, diz ele. “Se você tem de mais de três prioridades, na verdade, não tem nenhuma.”

Em vez de criar listas enormes de coisas a fazer pense nos seus objetivos para determinar um plano de ação. “Escreva o que você vai fazer em seu calendário. Quando o dia chegar, apenas faça aquilo.”

3. Prepare-se para o sucesso no futuro:

Se sua carga de trabalho estiver mais leve, o que é comum no começo do ano, use janeiro para se preparar para os próximos meses. Organize seu ambiente de trabalho, limpe a caixa de entrada do seu email, crie um sistema para lidar com os novos trabalhos e projetos. A mesa de trabalho influencia bastante a sua produtividade, então se organize de acordo com as dicas dos especialistas.

Por exemplo, segundo David Allen, autor de “A arte da produtividade sem estresse”, você deve manter apenas quatro coisas na sua mesa: os materiais básicos (como caneta e bloco de anotações), material de referência, decoração e equipamento. Qualquer outra coisa deveria ficar guardada em outro lugar.

3. Ou simplesmente desista:

Não é razoável esperar que a produtividade seja constante, seja ao longo de um dia, de uma semana ou de um ano, diz Cindi Fukami, professora de administração da Universidade de Denver. Em vez de brigar contra isso, reconheça e aceite esse fato.

“Os ritmos da vida flutuam, e a produtividade também”, diz Cindi. - “Os negócios de uma empresa passam por ciclos e isso é aceito como normal. As companhias deveriam aceitar que os funcionários também têm ciclos. Se a empresa quer produtividade uniforme, deveria investir em automação e robótica. Só assim você consegue manter as operações no mesmo ritmo 24 horas por dia, 7 dias por semana e 365 dias por ano.”

Época Negócios.


18 de janeiro de 2018

Nota FENATEST 02.18 Repudio ao Governo Federal.




NOTA DE REPÚDIO AO TEOR DO DECRETO Nº 9.262/2018 QUE EXTINGUE CARGO DE TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO NO SERVIÇO PÚBLICO.

Destinatário: Comunidade em Geral

A Diretoria da Federação Nacional dos Técnicos em Segurança do Trabalho – FENATEST repudia de forma veemente a publicação do Decreto nº 9.262, de 9 de janeiro de 2018 (DOU do dia 10/01/2018 – Nº 7, Seção 1, pág. 5), pelo Excelentíssimo Senhor Presidente da República, Michel Temer.

Tal Decreto extinguiu, dentre outros, cargos de TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO no âmbito da administração pública federal direta, autárquica e fundamental. O profissional de Técnico de Segurança do Trabalho é essencial para o desempenho de gestão da prevenção de acidentes, doenças do trabalho e qualidade de vida e organização eficiente das funções de qualquer órgão gestor, seja no setor público ou privado, nas condições que o governo legisla, e tem a função constitucional convencionado pela OIT, para cumprir e fazer cumprir com ambiente e trabalho digno, cujas evidencias estão nos altos índices de absenteísmo (afastamento do trabalho).

Ao extinguir os cargos de técnico em segurança do trabalho descritos no Decreto nº 9.262/2018 Excelentíssimo Senhor Presidente da República desconsiderou o fato de que as atividades pertinentes ao segurança e saúde no trabalho não foram extintas das organizações, elas continuam existindo e serão sempre necessárias para o seu funcionamento e desenvolvimento e que tal profissão é regulamentada pela Portaria 3217/, de maneira que as funções atinentes a esta atividade somente podem ser exercidas pelos profissionais que comprovem a devida habilitação pela Lei 7.410, de 27/11/1985. Evidente, assim, o desrespeito e a afronta direta à DECRETO PRESIDENCIAL 7.602/2011 que estabelece como objetivo a instituição de gestão de segurança e saúde no trabalho no âmbito dos serviços públicos Federal, Estadual e Municipal. Configura um retrocesso de empenho e esforço de mais de 40 anos do governo e setor privado para retirar o Brasil da pior posição do Mundo em acidentes e doenças do trabalho, resultados de uma ampla legislação prevencionista, dentre as quais: - Portaria nº 3.237/MTE de 27/07/1972; - NR 4/Portaria 3.214/78 MTE – Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho; - Lei 7.410, de 27/11/1985; - Portaria 3275/MTE, de 21/09/1989; - Decreto nº 92.530, de 09/04/1986. Dispõe sobre formação do Técnico de Segurança do Trabalho e - Portaria 262/MTE de 29/05/2008.

A FENATEST estudará as medidas cabíveis para reverter tal injustiça e garantir a manutenção dos cargos e funções de Técnico em Segurança do Trabalho no âmbito da administração pública federal. 
Brasília, 18 de Janeiro de 2018.

Compartilhe:

Arnaldo Caland (Presidente SINTEST-PI).

17 de janeiro de 2018

Trabalhador que entra em área de risco por poucos minutos também ganha adicional.



Trabalhador que ingressa em área de risco todos os dias, ainda que por pouco tempo, tem direito ao adicional de periculosidade.

A decisão é da 3ª Turma do Tribunal Superior do Trabalho ao condenar uma empresa a pagar o adicional a um ajudante geral que entrava várias vezes no almoxarifado durante a jornada, mas por poucos minutos em cada passagem.

De acordo com o colegiado, apesar do tempo de exposição ser pequeno, ocorria várias vezes ao dia, deixando de ser uma situação eventual e passando à exposição habitual. Dessa forma, não pode ser aplicado ao caso o item I da Súmula 364 do TST, que, nas hipóteses de tempo extremamente reduzido, afasta a percepção do adicional.

O empregado alegou que, ainda que o contato com agente perigoso fosse por tempo reduzido, ele ocorria de forma contínua, habitual e permanente. Disse ter trabalhado com substâncias nocivas à saúde, como graxa, cola e diversos produtos químicos, sem que a empresa fornecesse Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) de forma correta.

O adicional foi negado pelo Tribunal Regional do Trabalho da 12ª Região (SC), que manteve sentença denegatória, baseando-se na informação pericial de que o trabalhador ia à área de risco, o almoxarifado, onde permanecia por tempo reduzido, para retirar o material necessário para desempenhar a sua função, que demandava maior tempo nas áreas de costura, coladeira e fardão. O TRT-12 ressaltou o fato de o empregado não permanecer nesses ambientes de risco executando ou aguardando ordens, mas adentrando ali por tempo mínimo.

Ao examinar o recurso do empregado contra essa decisão, o relator, ministro Alexandre Agra Belmonte, destacou a constatação pericial de que o empregado ingressava diariamente, de maneira intermitente, na área de risco, de três a cinco vezes por dia, durante cinco minutos em cada ocasião. Assim, embora a sua jornada de trabalho não fosse cumprida dentro de área considerada de risco, transitava pelo almoxarifado de forma habitual, onde ficava exposto a condições de risco, o que configura o contato intermitente, afirmou.

Para o relator o contato do trabalhador nesse caso não pode ser considerado eventual, pois ocorria diariamente e em decorrência do seu trabalho normal, o que demonstra habitualidade. Para ele, é irrelevante o tempo de permanência do empregado sujeito a condições de perigo, “uma vez que o trabalho em situação de risco configura perigo iminente e imprevisível, pois o sinistro pode ocorrer a qualquer momento, e um único acidente com substância inflamável pode ser fatal”.

A situação de risco não é cumulativa, afirmou, mas instantânea, de modo que, ainda que a exposição ao agente de risco seja intermitente, subsiste o direito ao adicional de periculosidade.

Ao seguir o voto do relator, o ministro Maurício Godinho Delgado, observou que o empregado ficava exposto ao perigo por cerca de mais de uma hora e meia por semana. “Portanto, não é mesmo o caso do item I da Súmula 364”.

Revista Consultor Jurídico. 


11 de janeiro de 2018

Projeto restabelece a garantia de afastamento de gestante e de lactante de atividades insalubres.



Tramita na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei 8304/17, que restabelece a garantia de afastamento da gestante e da lactante de atividades insalubres na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT – Decreto Lei 5.452/43).

Esse ponto da legislação havia sido alterado pela reforma trabalhista aprovada pelo Congresso (Lei 13.467/17), que permite o trabalho em local insalubre se o atestado médico assim autorizasse.

Autor do projeto, destaca que a mudança pôs em risco à saúde das gestantes e dos bebês. “É uma verdadeira perversidade permitirem que grávidas e lactantes trabalhem em locais que representem risco à vida; é um retrocesso e uma desumanidade”.

Fica liberado o trabalho em ambientes como minas, pedreiras, estações de tratamento de esgoto, frigoríficos, ambientes sujeitos à radiação química, descargas elétricas, excesso de ruídos, umidade, mofo e gases químicos.

Esse ponto da reforma trabalhista também foi alterado pela Medida Provisória 808/17, enviada pelo governo ao Congresso. Para não perder a validade, o novo texto deve estar definitivamente aprovado na Câmara e no Senado até 22 de fevereiro.

Conforme a MP 808/17, as gestantes serão afastadas de atividade insalubre e exercerão o trabalho em local salubre. Neste caso, deixarão de receber o adicional de insalubridade. Para as lactantes o afastamento terá que ser precedido de apresentação de atestado médico.

O trabalho em locais insalubres de grau médio ou mínimo somente será permitido quando a grávida, voluntariamente, apresentar atestado médico autorizando a atividade.

Tramitação:

O PL 8304/17 será analisado, em caráter conclusivo, pelas comissões de Seguridade Social e Família; de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Camaranoticias/Noticias


8 de janeiro de 2018

O Leão e o Rato - Reflexão.





Certo dia estava um Leão a dormir a sesta quando um ratinho começou a correr por cima dele.

O Leão acordou, pôs-lhe a pata em cima, abriu a bocarra e preparou-se para engoli-lo.

- Perdoa-me! - gritou o ratinho - Perdoa-me desta vez e eu nunca o esquecerei. Quem sabe se um dia não precisarás de mim?

O Leão ficou tão divertido com esta ideia que levantou a pata e o deixou partir.

Dias depois o Leão caiu numa armadilha.

Como os caçadores o queriam oferecer vivo ao Rei, amarraram-no a uma árvore e partira à procura de um meio para o transportarem.

Nisto, apareceu o ratinho.

Vendo a triste situação em que o Leão se encontrava, roeu as cordas que o prendiam.

E foi assim que um ratinho pequenino salvou o Rei dos Animais.

Moral da história:

Não devemos subestimar os outros.


4 de janeiro de 2018

Em 2018 - Cause boa impressão no primeiro dia de trabalho.




Quer causar boa impressão no primeiro dia de trabalho na nova empresa? Confira as dicas dos consultores em RH e gestão empresarial:

Preocupe-se com seu visual, usar roupas adequadas é essencial; esteja aberto a aprender;

Esteja preparado para brincadeiras nesses dias. Dependendo das pessoas, isso pode ser muito comum;

Esteja aberto a falar sobre você e sua vida profissional.

No ambiente de trabalho, as pessoas tendem a lançar mão desses “recursos" para se tornarem mais próximas; seja simpático;

Saiba que, da mesma forma que, para você tudo é novidade, você também é a novidade do momento;

Se esforce para agradar, mas não force a barra;

Na hora do almoço, tente se enturmar, mas sem impor sua presença;

Aproveite os primeiros dias para perguntar e tirar o maior número de dúvidas que tiver;

Não saia expondo suas posições mais apaixonadas de forma ostensiva; seja o máximo autêntico possível;

Procure entender bem quais são suas obrigações e responsabilidade e busque atendê-las;

Saiba ouvir seu chefe e seus novos colegas de trabalho.

Seja humilde e proativo. 



2 de janeiro de 2018

ANO NOVO CHEGOU – Vamos refletir.




Hoje é o dia que dá início a um novo ano. É o dia primeiro. Todos querem iniciar mais um ano com esperanças renovadas. É um momento de alegria e confraternização.

As rogativas, em geral, são para que se tenha muito dinheiro no bolso, saúde pra dar e vender. Mas será que se tivermos tudo isso teremos a garantia de um ano novo cheio de felicidade?

Se Deus nos dá saúde, o que normalmente ocorre é que tratamos de acabar com ela em nome das festas.

Seja com os excessos na alimentação, bebidas alcoólicas, tabaco, ou outras drogas não menos prejudiciais à saúde. Não nos damos conta de que a nossa saúde depende de nós. Dessa forma, se quisermos um bom ano, teremos que fazer a nossa parte.

Se pararmos para analisar o que significa a passagem do ano, perceberemos que nada se modifica externamente. Tudo continua sendo como na véspera.

Os doentes continuam doentes, os que estão no cárcere e permanecem encarcerados, os infelizes continuam os mesmos, os criminosos seguem arquitetando seus crimes, e assim por diante.

Nós, e somente nós podemos construir um ano melhor, já que um feliz ano novo não se deseja, se constrói.

Poderemos almejar por um ano bom se desde agora começarmos um investimento sólido, já que no ano que se encerra tivemos os resultados dos investimentos do ano imediatamente anterior e assim sucessivamente.

Poderemos construir um ano bom a partir da nossa reforma moral, repensando os nossos valores, corrigindo os nossos passos, dando uma nova direção à nossa estrada particular.

Se começarmos por modificar nossos comportamentos equivocados, certamente teremos um ano mais feliz.

Se pensarmos um pouco mais nas pessoas que convivem conosco, se abrirmos os olhos para ver quanta dor nos rodeia, se colocarmos nossas mãos no trabalho de construção de um mundo melhor, conquistaremos, um dia, a felicidade que tanto almejamos.

Só há um caminho para se chegar à felicidade. E esse caminho foi mostrado por quem realmente tem autoridade, por já tê-lo trilhado.

Esse alguém nós conhecemos como Jesus de Nazaré, o Cristo.

No ensinamento "amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo" está a chave da felicidade verdadeira.

Jesus nos coloca como ponto de referência. Por isso recomenda que amemos o próximo como a nós mesmos nos amamos.

Quem se ama preserva a saúde. Quem se ama não bombardeia o seu corpo com elementos nocivos, nem o espírito com a ira, a inveja, o ciúme etc. quem ama a Deus acima de todas as coisas, respeita sua criação e suas leis. Respeita seus semelhantes porque sabe que todos fomos criados por ele e que ele a todos nos ama.

Enfim, quem quer um ano novo repleto de felicidades, não tem outra saída senão construí-lo.

Importa que saibamos que o novo período de tempo que se inicia, como tantos outros que já passaram, será repleto de oportunidades. Aproveitá-las bem ou mal, depende exclusivamente de cada um de nós.

O rio das oportunidades passa com suas águas sem que retornem nas mesmas circunstâncias ou situação. Assim, o dia hoje logo passará e o chamaremos ontem, como o amanhã será em breve hoje, que se tornará ontem igualmente.

E, sem que nos demos conta, estaremos logo chamando este ano que se inicia de ano passado e assim sucessivamente.

Que todos possamos aproveitar muito bem o tesouro dos minutos na construção do amanhã feliz que desejamos, pois a eternidade é feita de segundos.

Repositório de sabedoria, verbetes:

Oportunidade e Tempo. 


26 de dezembro de 2017

Profissional Técnico em Segurança, não deixe de assinar está Petição.



Criação do Conselho de Classe dos Técnicos de Segurança do Trabalho.

Para: Exmo. Senhor Presidente da Republica.

Visando o fortalecimento da categoria e dar voz a todos os Profissionais Técnicos de Segurança do Trabalho vimos por meio deste abaixo assinado encaminhar um pedido a V. Ex.º para que institua o CONSELHO FEDERAL DOS TÉCNICOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO - CONFETEST e seus congêneres regionais.

O Brasil tem uma media de 700 mil registros de acidentes de trabalho por ano, ocupando atualmente o 4º lugar em todo o mundo nesse quesito, atrás somente de países como a China, Índia e Indonésia. 
O custo anual é muito alto, já que segundo os dados oficiais há um gasto aproximado de R$ 10 bilhões com indenizações e tratamentos decorrentes dos infortúnios dos acidentes de trabalho.

Entre os fatores que contribuem para essas ocorrências estão à alta rotatividade de mão de obra, a existência de máquinas inadequadas e obsoletas, o excesso de jornada, e em muitos ambientes o agravo a saúde dos trabalhadores com as doenças ocupacionais tornam-se quase que um caso de saúde publica, necessitando assim uma intervenção do Estado, através das ações do Ministério do Trabalho e do Ministério Público do Trabalho e da Previdência Social, ocorre que pela experiência e conhecimento técnico sobre as questões que envolvem os processos de trabalho e a prevenção de acidentes e doenças decorrentes das atividades de labor, urge a necessidade da atuação profissional dos Técnicos de Segurança do Trabalho e que com a instituição de seu Conselho de Classe será mais um elemento dentro da cadeia produtiva com capacidade de atuação imediata no problema dos acidentes de trabalho e dos agravos a saúde dos trabalhadores, através da Fiscalização do CONSELHO FEDERAL DOS TÉCNICOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO - CONFETEST e seus congêneres regionais o que garantirá, sem sombra de qualquer dúvida, a redução substancial dos passivos decorrentes das más condições de trabalho que levam os trabalhadores ao infortúnio dos acidentes.

Diante da atual situação do país, das reformas trabalhistas e da incerteza política nunca se fez tão necessário a criação do CONSELHO FEDERAL DOS TÉCNICOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO - CONFETEST e seus congêneres regionais, portanto, companheiros nós temos a obrigação de lutar pela valoração da nossa profissão e dessa forma estaremos contribuindo para a redução dos acidentes e agravos a saúde dos trabalhadores, assim pedimos que você contribua assinando esse ABAIXO ASSINADO ELETRÔNICO que será encaminhado a Presidência da Republica para sensibilizá-lo quanto a Criação do CONSELHO FEDERAL DOS TÉCNICOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO - CONFETEST e seus congêneres regionais.




25 de dezembro de 2017

Feliz Ano Novo aos amigos (as) e seguidores (as) deste blog!




Resultado de imagem para imagem de ano novo

O fim do ano é sempre um bom momento para pensarmos um pouco sobre a vida, lembrar das maravilhas que temos a agradecer e também de tudo aquilo que nunca mais voltaremos a fazer.

Toda nova etapa deve ser comemorada, ganhamos uma ótima oportunidade de eliminar tudo que já não traz felicidade para nossas vidas e assim obtemos mais espaço para vivermos novas alegrias!

Vamos nos cercar de pensamentos positivos e continuar a dar o nosso melhor sempre que possível.

Que este novo ano chegue primeiramente com muita saúde e coragem, pois assim já temos o suficiente para conseguirmos todo o resto.

Que nunca nos falte trabalho e que possamos continuar por muitos anos prezando sempre pela nossa amizade!

Que nunca percamos a capacidade de sonhar e lutar para realizar os nossos sonhos.

Feliz Ano Novo!
2017/2018.


11 de dezembro de 2017

O Natal chegou.





Resultado de imagem para imagens de natal

Natal é época de renascimento; é época de reacender o fogo da vida, de renovar os sonhos e metas para o ano novo que já se anuncia.

É época também de celebrar todas as conquistas vividas e os objetivos alcançados. Esta é a época da virada, é tempo de planejar um ano ainda melhor do que este que está dando adeus.

É tempo de reafirmar parcerias, e olhar para frente com determinação e otimismo, levando conosco todas as lições que aprendemos.

Desejamos a você um Feliz Natal e um Ano Novo muito próspero. Esperamos, por mais um ano, compartilhar grandes momentos e conquistas!

Marcio Santiago Vaitsman